Bloguinho Infantil

Neste bloguinho vamos contar histórias, contos e escrever poesias.
E você também pode participar com textos, desenhos e versinhos.

Tem jogos, diversões, receitinhas fáceis e muito mais!


Clique na Alice com sua gatinha Dinah

Contato do Bloguinho

Calendário


Reloginho

Depende de você!

Mundo do Sítio do Pica-pau Amarelo

Mundo do Sítio do Pica-pau Amarelo
Mundo do Sítio do Pica-pau Amarelo (clique na Emília)

O Bloguinho nasceu em 9 de setembro de 2010

O Bloguinho nasceu em 9 de Setembro de 2010

Número de visitas que já recebeu:

contador de visitas
Pessoas online

Borboletas

Gatinho brincalhão

Curta Livro com Pezinhos no Facebook
Informe-se através do e-mail:livrocompezinhos@yahoo.com.br

sábado, 17 de agosto de 2013

Dia do Folclore



Olivaldo Júnior
Comemora-se em vinte e dois de agosto, em todo o Brasil, o Dia do Folclore. A palavra tem origem no inglês antigo e quer dizer “cultura do povo”. Você já tem o seu eleito nesse dia especial? Pode ser a Cuca, o Curupira, o Saci, mas, também, pode ser o que você faz quando, ao receber uma visita que não se manca, banca a avó e coloca uma bela vassoura atrás da porta, pois quem demora demais em casa alheia sem perceber que incomoda só pode ser mesmo uma bruxa, ou um bruxo. Pé de pato, mangalô, três vezes! Dou três toques na madeira e me censuram: é TOC! Mas não se tocam que é apenas reminiscência de folclórica lembrança, um velho hábito que me habita e me religa ao que, em nós, é indissociável da cultura de cada casa, cada lar, que tem seu próprio jeito.
O jeito com que fazemos a comidinha do dia a dia, o modo com que entendemos que dor num dos ossos que um dia quebramos é sinal de chuva, bolinhos de chuva (nham, nham), tudo isso é folclore, lógica de antepassados ainda em franca exibição nas telas do agora. Agora é o folclore que um dia será lembrado como “coisa de pessoas daquele tempo”. O tempo é o senhor do folclore, que nos enreda e enrosca em velhas cantigas, velhos sentidos para gestos ainda feitos. O cravo brigou com a rosa, e o desquite não sai, pois é sempre da briga que a gente mais lembra. O sapo cururu, na beira do rio, já está velhinho, mas sua esposa ainda “faz rendinhas para o casamento”...
O que eu quero dizer é que o melhor é que se comemore o folclore que a gente faz, porque todos somos lendas onde quer que estejamos. Ninguém conhece do outro nada mais que sua lenda, uma parlenda da existência a que chamamos vida. Viver é um estado folclórico, por isso, faça você mesmo a sua história, seus passos entre os passos de outras lendas, outros seres, que todos têm um quê de Emília e de Lobato no espírito.

Um comentário:

  1. Amigos do Bloguinho

    Muito obrigado pela postagem de mais um texto escrito por mim.

    Que estejamos sempre juntos.

    Olivaldo

    ResponderExcluir

Leve o Bloguinho para o seu site!

Marcadores

Administradoras do Bloguinho

Carmen Maria da Silva Fernandes Pilotto
Ivana Maria França de Negri



Minha lista de blogs e links legais

Brinque com o Totó

Alimente os peixinhos

Clique nos peixinhos

Alimente as Tartaruguinhas

Alimente o sapinho

Brinque com os pinguins

Hamster


Clique e estoure!

Migui adotado pela Mariana

Dê banho no Cascão

Espinho - cuide bem desse bichinho

Brinque com o cãozinho Bob

Esta é a Florzinha - Come cenouras e pula

Brinque com a gatinha Lolita

Amigo não se compra! Adote!